segunda-feira, 30 de março de 2009

Filmografia Tania Alves: "Parahyba Mulher Macho" (1983)



"Parahyba Mulher Macho" (1983), de Tizuka Yamazaki, mostra, com grande realismo, um dos episódios mais turbulentos da história brasileira: o assassinato, em 1930, de João Pessoa, Governador da Paraíba na época. O crime contribuiu para a eclosão da Revolução de 30.

Em meio a este cenário turbulento, brota a paixão entre o advogado João Dantas (Cláudio Marzo), assassino de João Pessoa, e a libertária Anayde Beiriz (Tania Alves). Os amantes enfrentam muitos obstáculos, inclusive suas diferenças ideológicas e sociais.

Anayde Beiriz foi uma das primeiras feministas brasileiras. Formada na Escola Normal, não foi aceita como professora por ser filha de tipógrafo. Por isso, foi trabalhar em uma colônia de pescadores, na praia de Cabedelo, emprego rejeitado pelas moças de família.

Naquela época, aos 26 anos, Anayde já se rebelava contra os costumes e preconceitos provincianos da Paraíba. Cortou o cabelo à la garçone (típico das prostitutas), saía sozinha, se maquiava, usava saias curtas e escrevia versos. Seu comportamento livre despertava a indignação da sociedade paraibana.



Ficha Técnica:

Direção:
Tizuka Yamazaki

Argumento / Roteiro:
José Joffily Filho e Tizuka Yamazaki
(Baseado no livro 'Anayde Beiriz - Paixão e Morte na Revolução de 30', de José Joffily)

Diretor Assistente:
Vítor Lustrosa

Montagem:
Lael Rodrigues

Fotografia / Câmara:
Edgar Moura

Direção de Arte:
Yurika Yamazaki

Música:
Paulo Moura

Cenografia / Figurinos:
Yurika Yamazaki

Edição:
Lael Rodrigues

Elenco:
Tania Alves
Cláudio Marzo
Walmor Chagas
Oswaldo Loureiro
Chico Diaz
Grande Otelo
José Dumont
Arthur Muhlenberg
Alberto Amaral
Luís de Lima
José Mário Austregésilo



Prêmios:

* Melhor filme (Júri Popular), melhor fotografia, trilha sonora, cenografia e técnico de som - Festival de Brasília - 1983

* Grande Prêmio do Júri no Festival de Cinema Ibero Latino-americano de Biarritz - França - 1983

* Prêmio Especial do Júri, Prêmio Associação dos Críticos de Andaluzia e Prêmio Confederação Cineclubes Espanha - Festival Latino-americano de Huelva - Espanha - 1983

* Melhor direção, melhor atriz e melhor filme no Festival de Cartagena - Colômbia - 1983

* Melhor interpretação feminina no Festival Internacional Novo Cinema Latino-Americano de Havana - Cuba - 1983.



No livro 'Tania Maria Bonita Alves', da Coleção Aplauso, Tania comenta sua participação no filme:  . "O filme foi um grande sucesso de bilheteria. Lembro de passar em frente aos cinemas de Copacabana e ver filas enormes na rua. Ganhei prêmios de Melhor Atriz nos festivais de Cuba e Cartagena. E o filme venceu os festivais de Brasília, Cartagena e Biarritz. Para encontrar a alma da paraibana libertária Anayde Beiriz, pivô involuntário da Revolução de 30, na Paraíba – depois de ver sua honra lavada com sangue pelas mãos do amante João Dantas, assassino do governador João Pessoa –, me inspirei em mulheres como Patrícia Galvão, a Pagu, e Leila Diniz (...) Admiro muito o trabalho da Tizuka. É impressionante vê-la num set de filmagem comandando a equipe. Algumas cenas do Parahyba, com uma multidão de figurantes, foram dirigidas com o filho dela mamando no peito. Era assim: o bebê num braço e o megafone no outro. Acho que essa imagem traduz a força da Tizuka".





Confira mais fotos de "Parahyba Mulher Macho" (clique nas imagens para ampliá-las):












Veja no vídeo abaixo uma cena de Tania Alves  em 'Parahyba Mulher Macho': 
 





Ouça no vídeo abaixo o áudio de 'Viajar', tema de amor de Anayde Beiriz e João Dantas em 'Parahyba Mulher Macho'. A composição é de Tania Alves e Enzo Merino:

 


* Fotos escaneadas por Leo Ladeira. Acervo Site As Cantrizes.



6 comentários:

  1. Assisti na Rede Globo, espetacular! Claudio Marzo e Tânia Alves, grandes atores, muito bom, que locações, que história, vale a pena, cinema brasileiro de qualidade!

    ResponderExcluir
  2. Meus parabéns a você Tânia Alves pelo seu brilhante desempenho, pois sou licenciado em História e posso dizer que foi muito forte o filme produzido por Tizuca, embora aqui na Paraíba tenha encontrado algumas resistências, por políticos e por algumas famílias conservadores, isso, mesmo no ano de 1998. Mas você é brilhante!
    Claudielhi dos Santos Araújo

    ResponderExcluir
  3. Desculpe-me quiz dizer 1983, e não 1998.

    ResponderExcluir
  4. Tânia, gostaria muito de ver este filme mas onde moro não há disponível nas locadoras, e não consegui nem na internet.

    Abraços

    Débora - Buritizeiro/MG

    ResponderExcluir
  5. O filme http://www.megavideo.com/?d=012M5XJL
    não é vírus! Assista online ou baixe.

    ResponderExcluir
  6. Hoje já tem no you tube ,muito bom o filme.
    Alguém pode me falar sobre a questão ambiental do filme?

    ResponderExcluir