quarta-feira, 8 de julho de 2009

Tania Alves em "Bandidos da Falange" (1983)


Tania Alves na abertura de "Bandidos da Falange"


Autoria: Aguinaldo Silva
Colaboração: Doc Comparato
Direção: Luiz Antônio Piá e Jardel Mello
Produção do núcleo: Paulo Afonso Grisolli
Período de exibição: 10/01/1983 – 04/02/1983
Horário: 22h
Nº de capítulos: 20


Trama:

- Aguinaldo Silva utilizou sua experiência de 10 anos como repórter policial para escrever a trama de Bandidos da Falange. Ambientada na Baixada Fluminense e na Zona Sul do Rio de Janeiro, a história conta o surgimento de uma organização criminosa, a Falange Vermelha, com códigos de honra baseados na força e na fidelidade ao grupo. Junto a isso, forma-se uma promíscua rede de relações com diversos segmentos da sociedade, até que a organização é desmantelada pela polícia. A história é dividida em quatro blocos, baseados na trajetória da Falange Vermelha: “As origens”, que se desenrola em 1975; “A organização”, em 1977; “Lutas internas”, em 1979; e “A queda”, em 1981.

- A trama começa em 1975, quando Paulo Alberto (Nuno Leal Maia), considerado o último bandido romântico do Rio de Janeiro, é morto após um assalto, durante um tiroteio com a polícia. Ele deixa a mulher, Denise (Marieta Severo), com quem tem dois filhos, e a amante, Marluce (Betty Faria), apaixonada pelo bandido. Com a morte de Paulo Alberto, Marluce fica completamente desnorteada e não consegue tocar sua vida. Além da dependência emocional que desenvolveu por Paulo Alberto, Marluce envolveu-se com a marginalidade e passa a enfrentar muitas dificuldades para se desligar desse universo. Ela não sabe que o amante deixou sob seus cuidados o produto de seu último assalto: uma fortuna em diamantes escondida dentro de um enorme relógio de mesa. Marluce, porém, acredita que dentro do relógio estão as cinzas de seu grande amor.

- Outro personagem importante na vida de Paulo Alberto é seu primo Jorge Fernando (José Mayer), que está detido no presídio da Ilha Grande. Após a morte de Paulo Alberto, Jorge Fernando é estimulado por seus companheiros a liderar uma organização dentro do presídio, tornando-se um exemplo para os demais presidiários. Surgem, então, as primeiras bases da Falange Vermelha.

- Enquanto isso, estão atrás da fortuna roubada por Paulo Alberto o policial corrupto Tito Lívio (José Wilker) e o honesto delegado Lucena (Stênio Garcia). Outro personagem chave para a história é o promotor Álvaro (Gracindo Jr.), um homem íntegro e honesto, que decide investigar a fundo as ligações de Paulo Alberto com Tito Lívio. Há tempos ele desconfia do policial, que já respondeu a onze inquéritos administrativos. O cerco se aperta, e Lucena e Álvaro conseguem colocar Tito Lívio atrás das grades. Ele vai para o presídio da Ilha Grande e passa a reivindicar a liderança da Falange Vermelha.

- Paralelamente aos desdobramentos da Falange Vermelha, acompanhamos as tramas de outros personagens da minissérie, todas interligadas à facção criminosa. O manobrista Valdir (José Dumont), por exemplo, casado com a bela Glória (Tânia Alves), acaba entrando em uma enrascada. Um dia, ele decide faltar ao trabalho para ficar com a mulher e é informado que, na sua ausência, a garagem fora assaltada e três funcionários, mortos. Aos olhos de todos, Valdir passa a ser o principal suspeito da tragédia. O chefe de segurança da empresa o obriga, sob tortura, a confessar sua participação no assalto, e ele acaba preso. O verdadeiro responsável pela ação é Bira (Roberto Bonfim), braço direito de Jorge Fernando fora da Ilha Grande. Ao saber da prisão de Valdir pelos jornais, Bira procura Glória na tentativa de orientá-la em relação ao julgamento do marido. Mas não há tempo para esperança. Na prisão, Valdir se envolve em uma briga e mata Jacaré (Gilson Moura). Com isso, perde definitivamente as chances de conseguir a liberdade e acaba tomando parte na criminalidade.

- Outro drama da minissérie é a história de Pinheiro de Lemos (Francisco Milani) e seu filho, Júnior (Julio Braga). Aos olhos de todos, Pinheiro de Lemos é um empresário bem sucedido, dono de uma agência de automóveis. Na verdade, o negócio serve de fachada para encobrir sua verdadeira fonte de riqueza: o tráfico de armas. Seu filho Júnior é dependente químico e, em determinado momento da história, é internado em uma clínica para tratamento. Para desespero de Pinheiro de Lemos, que não sabe como se aproximar do filho, nem o que fazer para ajudá-lo, Junior foge da clínica e acaba entrando para o mundo do crime. Em seguida, o rapaz é preso e torna-se mais um membro da Falange Vermelha.

- Nesse momento, a história está em 1979. Os assaltos no Rio de Janeiro se sucedem, para desespero de Lucena. O delegado prepara um relatório sobre a formação da Falange e pede poderes às autoridades para desarmá-la. A disputa acirrada pelo comando da organização acaba matando Jorge Fernando, num motim liderado por Tito Lívio. Ele assume a Falange Vermelha e nomeia Junior seu braço direito. Poderoso e respeitado, Tito Lívio planeja, então, sua fuga da prisão. Depois de seguir todos os passos, o destino lhe prepara uma desagradável surpresa: ao entrar no automóvel rumo à liberdade, o veículo explode, e Tito Lívio morre.

- Voltamos ao drama de Marluce que, após alguns anos, consegue esquecer Paulo Alberto, quando conhece o policial Gilberto (Jonas Bloch). Feliz e recuperada da perda de seu grande amor, ela novamente acaba vítima da violência. Durante um intenso tiroteio num conjunto residencial da Ilha do Governador, Gilberto é morto. Depois de inúmeras pistas falsas e seis anos de investigação, Lucena finalmente identifica Marluce como amante de Paulo Alberto e vai em busca das jóias escondidas. Fugindo da perseguição policial, ela joga o relógio do alto da ponte Rio-Niterói. Só então toma conhecimento de seu verdadeiro conteúdo.

- Em 1981, a Falange Vermelha está enfraquecida após a morte de Tito Lívio. No entanto, o delegado Alberto e o promotor Álvaro não contavam que Júnior seguiria com a organização. Com experiência e respeito dos presidiários por ter sido braço direito de Tito Lívio, ele procura o pai, e os dois passam a trabalhar juntos, esquecendo a tragédia familiar que os separou há anos atrás. A partir daí, inicia-se uma nova fase do crime organizado.


Produção:

- Bandidos da Falange foi um projeto grandioso e envolveu mais de 200 locações. A minissérie teve cenas gravadas em Itacuruçá, Jacarepaguá e Santa Teresa, no Rio de Janeiro.

- Cenas externas foram filmadas no Presídio Vicente Piragibe, em Bangu. Mas alguns espaços do presídio foram cenograficamente reproduzidos nos estúdios da TV Globo.


Curiosidades:

- A minissérie tinha data de estréia prevista para agosto de 1982. No entanto, problemas com a Censura Federal obrigaram a TV Globo a adiar seu lançamento. Cinco meses depois, com muitos cortes e interferências, a minissérie pôde ser levada ao ar.

- José Mayer merece destaque na minissérie. Jorge Fernando foi o primeiro papel de peso do ator na Rede Globo. José Mayer compôs um bandido romântico e foi elogiado pelo seu desempenho.

- A minissérie foi lançada em VHS pela Globo Vídeo, em 1985.

- Bandidos da Falange foi reapresentada, numa edição especial de 10 capítulos, em fevereiro de 1984.

- A minissérie foi vendida para Portugal.


Veja o vídeo de abertura de "Bandidos da Falange":





Fontes: Site Memória Globo. Canal Novelomania (YouTube).

Nenhum comentário:

Postar um comentário