quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Biografia - Cantora




Carioca de Copacabana, nascida em uma família de classe média alta, Tania Alves sempre esteve ligada à música. Seu pai tocava vários instrumentos e gostava de levá-la para saraus e serestas.

Com apenas 10 anos, Tania já era formada em acordeom, tão aplicada que podia dar aulas, embora o que mais quisesse da vida era ser bailarina, o que o pai reprovava veementemente.

Do acordeom ela passou para o violão, o pandeiro e a flauta doce. Como o pai trabalhava em uma empresa alemã, Tania foi estudar este idioma no Instituto Cultural Brasil Alemanha, onde entrou em contato com a música erudita. Descobriu então que tinha voz de soprano lírico. No Instituto, ela cantava Liszt, Schumann, Häendel e Bach.

Mas foi por intermédio de Chico Buarque que Tania chegou ao mundo do disco. Por indicação dele (com quem trabalhou em "Ópera do Malandro"), gravou seu primeiro LP, “Bandeira”, lançado em 1980. Era um disco bem ligado ao mundo do teatro, onde Tania usava várias vozes diferentes.

Já casada com o músico Enzo Marino, do grupo Raíces de América, ela voltou a tocar acordeom e começou a colocar letras nas composições do marido. Dessa mistura, “forró pan-americano”, como ela gosta de dizer, surgiu o disco “Novos Sabores”, lançado em 1983.

Tania garante que nunca se dividiu entre a cantora e a atriz, apesar de algumas pressões que sofreu: “A criação e a expressão são livres. Essa é a minha verdade, por isso jamais tive minha autoconfiança abalada. Quero é ser feliz”, disse em uma entrevista.

Ainda nos anos 1980, lançou os discos "Dona de Mim", "Tânia Alves", "Brasil-Brasil", "Folias Tropicais" e "Humanas", nos quais realizou uma mistura de ritmos latinos, afro-brasileiros e das variadas vertentes românticas.

Em 2000, voltou a atenção para o forró, ritmo regional no qual já havia incursionado e se tornado conhecida. Com produção e arranjos de Robertinho do Recife, o CD “Todos os Forrós”



Notícias Recentes

2009

Em junho, Tania apresenta o show "Bossas e Boleros" em Goiânia, com destaque para a música inédita "3 x 4", composta por Roberto Menescal em parceria com Paulo César Feital.




Discografia:

LPs | CDs:

* "Bossas e Boleros" (2003)
* "De Bolero em Bolero" (2001)
* "Todos os Forrós" (2000)
* "Coração de Bolero" (1999)
* "Amores e Boleros - Vol.III" (1997)
* "Amores e Boleros - Vol.II" (1996)
* "Amores e Boleros" (1994)
* "Folias Tropicais" (1989)
* "Humana" (1988)
* "Tania Alves" (1987)
* "Dona de Mim" (1986)
* "Novos Sabores" (1983)
* "Bandeira" (1980)



DVDs:

* "De Bolero em Bolero" (2005)



Participações em Trilhas e Discos:

* "Forró da Feira" (2001)

* "O Melhor do Forró no Maior São João do Mundo" | faixa: "Capim-Guiné" (1997)

* "Dominguinhos e Convidados cantam Luiz Gonzaga" | faixa: "Qui nem Jiló" (1997)

* "Nordeste Já" | faixas: "Chega de Mágoa" e "Seca d´Água" (1985)

* "TiTiTi" - Trilha Sonora da novela | faixa: "A Dança do Amor" (1985)

* "Tenda dos Milagres" - Trilha Sonora da minissérie | faixa: "Amor de Matar" (1985)

* “Carnaval 84: Liberou Geral... Uma Inflação de Sucessos” – produção Roberto Sant'Anna. | faixa: Cadê Nós? (aut: Bubuska Valença)(1984)

* "Tiradentes, Nosso Herói" - Trilha Sonora do Especial | faixas: "Sinhá Olímpia" e "Língua Enrolada" (1984)

* "O Cangaceiro Trapalhão" - Trilha Sonora do filme | faixa: "Lampe, Lampião" (1983)

* "Cabaret Mineiro" - Trilha Sonora do filme | faixas: "Cabaret Mineiro", "O Sonho", "Te Pega Te Pica" (1981)

* "Manduka" (Manduka) | faixa: "Maldigo del Alto Cielo" (1979)

* “Vital Farias” (Vital Farias) | faixa: "Bate com o pé xaxado" (1978)

* "Morte e Vida Severina" - Trilha Sonora do filme | faixas: "Funeral de um Lavrador", "As Ciganas" (1977)



3 comentários:

  1. tenho apenas 15 , mais gosto muito do seu trabalho!
    cresci ouvindo lindos boleros em sua voz!

    saiba que me sinto um garoto diferente e feliz por ter crescido ouvindo a verdadeira e boa musica brasileira!
    com carinho: Mauro santos

    ResponderExcluir
  2. Gente, tenho o Disco "Bandeira" de Tânia Alves, gravado em 1980. Ela não muda a voz não, só na música Cabaret Mineiro que Tânia canta como soprano. Participação trilhas e discos faltaram: Marcas da paixão - Êta vida boa - Mandala nacional - Eu quero o absurdo
    Forróbodo - Pisa na fulô
    Forrozão do Ratinho - Nois é jeca mais é joia
    Forró pé de serra - Quando bate o coração
    Forró legal - Cumade e cumpade
    DVD O Baile - Começaria tudo outra vez

    ResponderExcluir
  3. Tania sou fanzasso seu, meu nome é Carlos e sou de Aguas de Lindoia sp.,

    ResponderExcluir